Juan Pedrozzo: um legado além de penteados e maquiagens para a Fenadoce

A Fenadoce é feita de pessoas e histórias. Durante 18 anos uma das pessoas que deu vida às mais divertidas histórias foi Juan Pedrozzo. Há mais de 30 anos ele saiu de Montevidéu, sua cidade natal, para uma viagem de 15 dias com alguns amigos para conhecer Pelotas. A viagem, na verdade, terminou somente agora, nesta sexta, 02 de março, quando cabeleireiro e maquiador oficial da corte da Fenadoce faleceu devido a uma parada cardíaca. Juan tinha 55 anos e era diabético.

O velório está sendo realizado na escola de Ballet Diclea Ferreira de Souza (General Osório,1427), em Pelotas, e o sepultamento será no cemitério Santa Tecla, no Capão do Leão, as 17h desta sexta-feira,02

A conselheira-gestora da Fenadoce, Vanisse Krause, destaca que o profissionalismo e a entrega de Juan vão ser sempre um exemplo para todos que passarem pela feira. “Ele deixou um legado para o evento que nunca será esquecido, um profissional que atuava com paixão e dedicação impar. Em nome do conselho, lamentamos muito e manifestamos nosso sentimento a todos os familiares e amigos”, afirma.

Juan e a Fenadoce

Com os seus longos cabelos vermelhos, Juan era uma das almas da Fenadoce. Pelos corredores esbanjava sorrisos misturando o sotaque espanhol com o português, mas levava o trabalho com seriedade: dizia não gostar de ser fotografado, afinal, era alguém dos bastidores e não deveria desviar a atenção das soberanas. De fato, Juan era mais do que o proprietário do salão Stúdio C Cabeleireiros. Ao longo de 18 anos ele cuidou da corte da feira como se fossem suas filhas, virando amigo e conselheiro das soberanas que passaram pelos seus cuidados. Certa vez, ele definiu o vínculo como “familiar”, tamanho o carinho que criou por todas.

O trabalho para o preparo da corte era um verdadeiro laboratório para ele. Analisava a escolha do vestido, as cores, o tema da feira no ano, sempre atento aos detalhes e em busca da harmonia entre as três escolhidas para representar a Fenadoce, transformando penteados, cortes e maquiagens em arte. Acompanhou inúmeras cortes em eventos, viagens e foi a grande mão amiga de todas durante os intensos dias de feira. Simbolicamente, homenagear o cabeleireiro já era tradição para cada corte ao final do seu reinado.

Apaixonado pelo trabalho e o vínculo que criou com a Fenadoce, Juan sempre acolheu a todos que chegavam à equipe. Em uma entrevista de 2016 para o site da Fenadoce, mostrou mais do que a sua bondade, mas o respeito por todos que, assim como ele, se dedicam a tornar a feira um grande evento: "Desde a pessoa que varre a feira, quem te recebe na porta, até os lojistas e quem trabalha na alimentação. Todos eles. Somos uma parceria incrível. Criamos uma família que se encontra uma vez por ano, durante vinte dias, mas que depois sente muito a falta um do outro", afirmou.

Fonte: Reverso Comunicação Integrada