CDL Pelotas comemora registro do Iphan à tradição doceira como Patrimônio Imaterial do Brasil

Após mais de uma década de espera, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Pelotas (CDL) pode acompanhar na última terça-feira, 15, em Brasília, o reconhecimento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para Pelotas, reconhecida como Patrimônio Cultural e Imaterial do Brasil. A tradição doceira de Pelotas, que inclui a “Tradição Doceira da Região de Pelotas e Antiga Pelotas - Morro Redondo, Turuçu, Capão do Leão e Arroio do Padre”, também foi inserida no Livro de Registro do Patrimônio Imaterial, na categoria dos saberes (artigo 1ᵒ ,SS1ᵒ, inciso I, do Decreto 3.551/2000).

 

A reunião que marcou o registro duplo histórico - é a primeira vez que o Instituto concedeu os dois registros a uma mesma cidade - contou com a presença de Enio Lopes, Conselheiro da CDL Pelotas. Há anos a entidade trabalhava em conjunto com a prefeitura do município para a conquista dos registros. Lopes destacou que a Fenadoce ganha ainda mais prestígio e reconhecimento. O cuidado com o doce, segundo ele, também é ainda maior. A boa notícia é que, com o reconhecimento, Pelotas passa a se habilitar a receber recursos internacionais para investir na cultura e na preservação da tradição doceira.

 

A prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, esteve na reunião e também comemorou a notícia. "É preciso lembrar que foi uma conquista coletiva de um trabalho de muitos anos, que uniu a iniciativa pública, privada, universidade e doceiras", ressaltou ela.

 

A conquista também leva ao tombamento do Conjunto Histórico de Pelotas com registro nos três livros do Iphan: Livro de Tombo Histórico; Livros de Belas Artes e Livro de Tombo Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico. Agora, o município tem a responsabilidade de manter a tradição. As praças José Bonifácio, Coronel Pedro Osório, Piratinino de Almeida, Cipriano Barcelos e o Parque Dom Antônio Zattera, conjuntamente com a Charqueada São João e a Chácara da Baronesa são reconhecidas como Patrimônio Cultural Brasileiro.

 

A comitiva pelotense contou ainda com Giorgio Ronna, Secretário de Cultura de Pelotas; Adriane Silveira, Presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural de Pelotas e Produtora Cultural da CDL Pelotas; José Laitano, CDL Pelotas; Luciana Silva, Presidente da Associação dos Produtores de Doces de Pelotas; Onélia Mendes Leite, Doceira; Iya Gisa de Oxalá;  Angelica B. dos Santos Milech, da Associação Morro de Amores/Morro Redondo; Flávia Rieth, da UFPEL e Daniel Vaz Lima, da UFPEL.