Processo de seleção: cuidado com a entrevista improvisada

Uma entrevista improvisada é aquela inventada pelo entrevistador, candidato após candidato. Não há um processo definido, nem uma lista de perguntas qualificadoras, nem objetivos. É apenas uma conversa informal com cada candidato.

Um método objetivo de comparação simplesmente não existe quando você não faz as mesmas perguntas para todos os candidatos. Torna-se difícil perceber as diferenças entre eles, ou se o candidato está à altura dos padrões desejados. Quando as perguntas são inventadas na hora da entrevista, a decisão de contratar baseia-se no que o entrevistador venha a descobrir casualmente. A decisão será tomada com base na sua intuição, do quanto “gostou” do candidato, valendo apenas a sua opinião pessoal. Estes fatores são importantes, mas reunir informações objetivas a partir de perguntas dirigidas, levantar o perfil comportamental do candidato e checar a presença de certas características necessárias à função também é extremamente relevante para que você faça escolhas mais acertadas.

A questão é: o seu “feeling” vai surgir, quer você tenha ou não informações objetivas. Mas as informações essenciais não surgem espontaneamente. Você precisa de um sistema para obter informações objetivas a fim de avaliar o candidato com precisão.

A entrevista deve ter consistência e ser metódica e não aleatória.

Os métodos de seleção devem ser automáticos e precisam ser projetados para filtrar os melhores candidatos. Isto pode parecer uma tarefa árdua, mas é bem mais fácil do que inventar um novo “sistema” a cada entrevista – comprometendo o seu resultado final. Este capítulo também fornecerá várias ferramentas que você precisa para desenvolver um sólido sistema para selecionar vencedores.

Existe outra boa razão para desenvolver com cuidado um sistema para seu processo seletivo: muitos candidatos utilizam um “método” para serem contratados. Alguns “candidatos profissionais” concentram toda a atenção em preparar-se para as entrevistas, e não em se tornarem funcionários valiosos quando forem contratados.

Em geral, esta é uma característica natural no comportamento humano. Quantas pessoas você conhece que na fase da conquista demonstram o que têm de melhor e que mostram o seu lado menos encantador depois de a terem realizado? Algumas vezes as técnicas usadas pelo candidato para “vender” sua imagem não podem ser levadas para o salão de vendas. A venda deles mesmos para você durante a entrevista acaba se revelando a única grande venda que se mostram capazes de realizar.

Você precisa ser tão esperto ao entrevistar, quanto os candidatos são ao tentarem ser contratados.

Esse conteúdo faz parte do Programa de Atração e Retenção de Talentos (PART), da GS&Friedman. Saiba mais em www.friedman.com.br

URL da notícia: http://www.varejista.com.br/dicas/recursos-humanos/6137/processo-de-selecao-cuidado-com-a-entrevista-improvisada