Como montar um planejamento estratégico

O período mais adequado varia de acordo com a natureza do negócio, com o estágio de desenvolvimento da organização e a volatilidade do ambiente externo

Por Luiz Kaufmann*

O objetivo do planejamento estratégico é definir uma direção para a empresa. E o processo de definição é tão importante quanto o plano. É um momento de reflexão, discussão, interação, de avaliação interna de forças e fraquezas, das oportunidades do mercado, do perfil da concorrência, da elaboração de planos e definição de objetivos e metas.

Mas não basta definir uma direção. A estratégia tem que ser traduzida em planos e projetos específicos. Em cada caso, é preciso definir:

* Os objetivos a serem atingidos por cada estratégia, preferencialmente de forma quantitativa;
* Como será atingido, quais as ações requeridas para atingir o objetivo;
* Quais são os recursos necessários para implantar cada estratégia – humanos, financeiros, tecnológicos etc.;
* Os obstáculos a serem superados;
* As responsabilidades e prazos – quem fará o quê, quando;
* O retorno esperado sobre o investimento.

Caso contrário, não se tem um plano, mas apenas um desejo, um wishful thinking. E o prazo do plano varia significativamente de empresa para empresa.

Por exemplo, no caso de uma companhia produtora de celulose, é preciso considerar que são precisos sete anos para se implantar uma floresta e disponibilizar matéria-prima, três a quatro anos para planejar, projetar e construir uma fábrica, o plano precisará ser necessariamente de longo prazo.

Como o negócio é altamente de capital intensivo, o retorno sobre o investimento dependerá inclusive do timing de implantação do empreendimento, e até mesmo cenários de oferta e demanda de longo prazo são necessários para um bom planejamento.

Já no caso de uma startup de tecnologia, para o lançamento de um novo serviço, ou de um novo produto, com uma tecnologia inovadora, o horizonte do plano será bem mais curto pela própria falta de elementos para um planejamento mais detalhado em um horizonte de tempo longo.

Ainda assim, normalmente se desenharão cenários de mais longo prazo, procurando definir como o novo serviço ou produto estará competindo no mercado, que vantagens competitivas sustentáveis a tecnologia terá no futuro. Mas fica muito difícil detalhar de forma concreta estratégias específicas de prazo mais longo. Assim, o plano será mais dinâmico e precisará ser revisado e renovado com maior frequência e sempre que surjam fatos novos importantes.

*Luiz Kaufmann é membro do Conselho de Administração da GOL Linhas Aéreas Inteligentes e da PACCAR Inc. nos Estados Unidos

Imagem: Planejamento: a estratégia tem que ser traduzida em planos e projetos específicos (Peopleimages/iStockphoto)
URL da notícia: https://exame.abril.com.br/pme/como-montar-um-planejamento-estrategico/?utm_content=chamadaunica&utm_campaign=conteudos-rede&utm_medium=native-list-g&utm_source=exame_pme_ads